by

Quais as formas de contribuir à Previdência Social e os benefícios oferecidos.


Contribuição ao INSS, Previdência Social, Planos de contribuição

A Previdência Social do Brasil vem mudando e se adaptando aos novos tempos. Essa adaptação trouxe a oferta de vários planos para que o cidadão possa iniciar suas contribuições para se tornar segurado e ter direito aos benefícios do INSS. Há algum tempo tudo era bem simples, para uma pessoa se tornar segurado da Previdência Social, como contribuinte individual ou facultativo. A única preocupação era fazer a inscrição e escolher o valor que iria contribuir, pois a alíquota era única. Tinha que calcular 20% do valor que pretendia contribuir que podia variar de um mínimo ao teto previdenciário. A escolha era simples, mas o valor a pagar afastava os mais pobres do sistema previdenciário, poucos tinham como se manter contribuindo.

Hoje tudo está mudado e há várias opções disponíveis para quem quer iniciar suas contribuições previdenciárias. Quando me perguntam "o que tenho que fazer para começar a contribuir" fica difícil responder, pois não sei o que o cidadão pretende, que tipo de benefício pretende obter e outros dados necessários. Por isso resolvi fazer este artigo para tentar dar uma explicação geral sobre esse assunto.

Se uma pessoa quer iniciar suas contribuições como contribuinte individual ou como contribuinte facultativo precisa saber o seguinte:

- Quer ter direito a todos os benefícios oferecidos pela Previdência Social e ter renda acima do mínimo quando for se aposentar. Se for essa a opção terá que contribuir com 20% do valor escolhido, pode iniciar com o mínimo e aumentar de acordo com a variação da renda. Lembre-se que a renda dos benefícios é calculada pela média usando 80% do total contribuído escolhendo as maiores. Pode contribuir sempre pelo mínimo, mas se quer se aposentar por tempo de contribuição precisa pagar 20%, se quer pagar menos tem que escolher os planos abaixo.

- Quer ter direito somente a aposentadoria por idade e demais benefícios, neste caso não se aposenta por tempo de contribuição e nem pode ter renda superior ao mínimo, pode contribuir com 11% calculado sempre sobre o salário-mínimo. Caso queira mudar para o plano que paga 20% terá que pagar a diferença que deixou de pagar com juros e multa.

- Quando a pessoa for dona de casa e a renda familiar for no máximo de dois salários-mínimos poderá contribuir com a alíquota de 5%. Neste plano só pode se aposentar por idade com renda de um salário-mínimo e tem direito aos demais benefícios, não se aposenta por tempo de contribuição. A dona de casa se enquadra como contribuinte facultativo e tem que se inscrever nessa categoria. As contribuições feitas neste plano não são incluídas automaticamente pelo INSS, antes de obter um benefício é feita a conferência para ver se realmente pertence a família de baixa renda e está regularmente registrada na prefeitura (CADÚNICO). Saiba mais sobre os direitos da Dona de Casa.

Para iniciar qualquer dos planos de contribuição acima é precisa fazer a inscrição na Previdência, quem já tem o número do PIS pode usar normalmente. Se o PIS for muito antigo é aconselhável ir ao INSS e atualizar os dados cadastrais. Quando for fazer inscrição inicial pode utilizar o site da Previdência, o telefone 135 ou ir à uma agência do INSS.

Em resumo existem três formas de contribuir à Previdência Social, na condição de contribuinte individual ou facultativo, que são:

- plano normal, contribui com 20% do valor escolhido, a menor contribuição é sobre o salário-mínimo e a maior sobre o teto previdenciário, neste plano tem direito a todos os benefícios.

- plano simplificado, contribui com 11% do salário-mínimo, não pode contribuir com valor maior, não tem direito a aposentadoria por tempo de contribuição, caso queira retornar ao plano normal terá que pagar a diferença de percentual para todas as contribuições que fez.

- plano dona de casa, contribui com 5% do salário-mínimo, não pode aumentar a contribuição, não tem direito a aposentadoria por tempo de contribuição, tem que ter registro no CADÚNICO da prefeitura onde reside e a renda familiar não pode ser maior que dois salários-mínimos. Se pagou indevidamente os 5% e não conseguir provar que era de família de baixa renda, pode pagar a diferença para 11% e ter os benefícios do plano simplificado.

Caso tenha alguma dúvida use o Fórum do Consultor e faça sua pergunta, comente nos tópicos já existentes.



Saiba mais sobre os benefícios do INSS no blog: BENEFÍCIOS DA PREVIDÊNCIA

Fórum do Consultor. Pergunte sobre os benefícios do INSS

75 comentários :

  1. Olá.Tenho uma dúvida. Sou dona de casa e gostaria de começar a contribuir com o inss para aposentar por idade. No caso a renda familiar ultrapassa 2 salários minimos, então tenho que contribuir com 11%, certo? Mas em qual categoria se encaixaria, individual ou facultativo (1163 ou 1473). Obrigada.

    ResponderExcluir
  2. Karin
    Dona de casa é no facultativo e tem que ser 11%.

    ResponderExcluir
  3. Olá, Catarino! Minha dúvida é em relação ao plano normal e o simplificado. Queria saber qual seria o mais vantajoso para minha situação. Tenho 31 anos, 10 de carteira assinada e desde 2012 estou desempregada e vou permanecer nessa situação por mais uns 2 anos, pois pretendo cuidar dos meus bebês. Enquanto não retorno ao mercado de trabalho, gostaria de contribuir para a previdência para não perder esses anos parada. Nesse caso, qual plano seria mais vantajoso para mim, tendo em vista que voltarei a contribuir via CLT (ou autônoma) no futuro? Ah, não me enquadro no plano de dona de casa por causa da renda familiar ultrapassar o limite. Obrigada e parabéns pelo blog esclarecedor em um assunto tão complicado! Ana Maria

    ResponderExcluir
  4. Ana Maria
    No seu caso tem que ser o plano normal, pois o simplificado só dá direito a aposentadoria por idade e com renda de um salário-mínimo.

    ResponderExcluir
  5. Boa tarde! Já possuo uma inscrição no PIS/PASEP e irei residir 02 anos no exterior sem remuneração. Posso fazer a contribuição facultativa e em qual plano?! Desde já, obrigado!

    ResponderExcluir
  6. Jefferson
    Pode sim, o plano é você quem escolhe, leia o artigo e decida qual é o melhor para você.

    ResponderExcluir
  7. Meu marido trabalhou de1973 a 1991 com registro em carteira. Ficou desempregado (trabalhando por conta propria ) até 2007 sem contribuir ao INSS. De 2007 a 2008 trabalhou com registro em carteira. De 2008 pra cá está desempregado. Voltou a contribuir como facultativo em janeiro desse ano.No final de abril ele passará por uma cirugia. Ele tem direito a auxilio doença? Obrigada . Heloisa Lessa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Heloisa, se pagou 4 parcelas sem atraso antes da cirurgia terá direito.

      Excluir
  8. Catarino,
    Em primeiro lugar parabéns pelo site.
    Minha mãe quando moça foi trabalhadora rural, em 1977 veio para cidade e trabalhou registrada por nove meses. Depois trabalhou em casa como costureira, mas sem contribuir. Em 1996 trabalhou novamente registrada por 1 ano e meio. Ficou desempregada e sem contribuir, depois começou a contribuir como autônoma durante 6 meses. Agora deseja voltar a contribuir novamente. Ela poderá contribuir normalmente iniciando do zero?
    Como poderá se aposentar? Têm que ter 15 anos de contribuição?
    Agradeço a atenção.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Maria
      Para se aposentar por idade, quanto tiver 60 anos, precisa ter 15 anos completos de contribuição, o tempo que já pagou conta, mas o que falta tem que pagar daqui para a frente.

      Excluir
  9. Catarino bom dia,
    Meu pai está desde 2007 como contribuinte individual, com o intuito de obter aposentadoria por tempo de contribuição. A 2 meses atrás fomos ao inss e verificamos que conseguiu cumprir o tempo de contribuição.Mas por uma informação incorreta passada a ele anos atrás, verificamos que ele arrecada erroneamente desde 2007 os 11% e não 20%.Portanto só poderia se aposentar por idade.A menos que efetue o pagamento do valor residual que não contribuiu (acerto das mensalidades). Preciso de sua ajuda para calcular esse valor, pois o inss informou que não realiza o cálculo.Temos que levá-lo pronto para que possam emitir o boleto para pagamento. Preciso muito de sua ajuda para resolver essa questão.

    Obrigado pela atenção.;

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ederaldo.
      Não há como fazer o cálculo, quem faz o cálculo é justamente o INSS, só eles tem o sistema que faz o cálculo e emite a guia. Tem que agendar um atendimento do serviço acerto de contribuições para ser atendido.

      Aposentadorias

      Excluir
  10. Boa tarde.

    Minha mãe reside no exterior, e a última vez que ela contribuiu foi no ano de 2007, mas ela quer voltar a contribuir este ano, pagando os 20%. Minha dúvida é a seguinte, é possível que ela pague as contribuições dos anos anteriores? Outro ponto, eu posso ir no INSS e pedir para eles calcular isto para ela? Ou preciso de uma procuração?

    Muito obrigada!!!

    ResponderExcluir
  11. Junia
    Não pode pagar atrasados, só daqui para a frente. Se tem o número do NIT pode pedir a guia no INSS.

    ResponderExcluir
  12. Boa tarde gostaria de saber se escolhendo o plano normal contribuição 20% e contribuindo os 15 anos tempo mínimo para aposentadoria ainda assim só poderia me aposentar com a idade mínima que é de 60 anos ou poderia me aposentar com os 15 anos da contribuição mais com idade inferior a 60 anos?

    ResponderExcluir
  13. Denise
    Para se aposentar antes, mulher, precisa pagar 30 anos e homem 35. Com 15 só quando completar a idade, por isso pode pagar os 11% que da no mesmo.

    ResponderExcluir
  14. Hoje estou com 42 anos Catarino tenho em carteira 6 anos não estou trabalhando e gostaria de voltar a pagar fiquei em dúvida sobre os 11 ou 20 como não poderei pagar para receber mais que um salário mínimo acho q vou optar por 11% mesmo vc acha q vale a pena deixar pra começar a pagar mais pra frente?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Denise
      Considerando que há outros benefícios, além da aposentadoria, o ideal seria você pagar por um tempo, exemplo 6 meses, e depois ir pagando alguns meses por ano até completar os 15 anos necessário, para não perder a qualidade de segurada.

      Excluir
  15. Boa tarde, Catarino. Minha dúvida é a seguinte.
    Tenho 60 anos, com 35 anos de contribuição ao INSS, sempre pelo teto, sendo que nos últimos 10 anos assim o fiz como Contribuinte Facultativo, recolhendo 20% do maior salário de contribuição.
    Fui reintegrado ao serviço público estadual, por decisão administrativa, e estou voltando à condição de servidor público.
    Porém, a remuneração é menor que o teto da Previdência, e não quero jogar fora os 35 anos de contribuição, e desejo me aposentar por idade no INSS.
    Pergunto: posso continuar contribuindo como Facultativo ao INSS por mais 5 anos, concomitantemente ao exercício de meu cargo como servidor público ESTATUTÁRIO, no qual desejo continuar por mais 10 anos, até os 70 de idade? Não desejo averbar o tempo de contribuição ao INSS ao emprego público.
    Ou existe algum impedimento legal que proíba servidores públicos estatutários, com regime previdenciário próprio, continuarem contribuindo ao INSS?
    Grato.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Miguel
      Os servidores públicos não podem contribuir facultativamente, somente se exercerem atividade privada podem contribuir como contribuinte individual. Lembre-se que no serviço público vai receber valor proporcional devido ao tempo de 10 anos, ou seja, o valor da aposentadoria vai ser divido por 35 e multiplicado por 10. Para se aposentar por idade no INSS, precisa ter 65 anos de idade e com 30 anos de contribuição terá renda integral, se tem 35 anos, não precisa pagar mais nada. Veja este link: http://www.consultor-online.com/2013/03/como-aproveitar-regra-de-calculo-da-renda-dos-beneficios-no-inss.html

      Excluir
  16. Grato pela pronta e precisa resposta, Catarino.
    Sem querer abusar, e já abusando, uma dúvida:
    Sei que médicos, professores e advogados podem ter uma atividade privada concomitantemente à pública.
    Mas sou Administrador e Consultor Empresarial.
    Nesta condição, posso, sendo servidor público, executar serviços de Consultoria mediante Contrato, descontando o valor do INSS normalmente no RPA, e essa contribuição não é incompatível com a vedação da EC 20?
    Desta forma eu continuaria mais um tempo recolhendo ao INSS, pois fazendo uma simulação no site da DATAPREV verifiquei que estou com 34 anos e 7 meses de contribuição, e como tenho 60 anos preciso ter 35 exatos.
    Assim, formalizo um Contrato de Consultoria com uma Empresa, mediante RPA durante 5 meses, esta Empresa recolhe ao INSS o valor devido e eu completo os 35 anos exigidos, podendo então pleitear a aposentadoria integral por tempo de contribuição.
    Grato novamente desde já.
    Miguel.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Miguel
      O servidor público só não pode contribuir como facultativo, pode como empregado ou prestador de serviço e até como contribuinte individual, a única restrição é quanto aos números de horas semanais que não pode ultrapassar 60 horas.

      Excluir
  17. Obrigado por todas as respostas e orientações, Catarino.
    Foram de extrema valia para que eu tomasse minha decisão.
    Vou, como meu cargo público não é de dedicação exclusiva, firmar um contrato de prestação de serviços de consultoria por 5 ou 6 meses, em um valor um pouco superior ao teto de contribuição do INSS, com recolhimento compulsório e à cargo do contratante, inclusive com desconto e recolhimento de IR, tudo mediante RPA.
    Creio que isso resolve meu problema.
    Gratíssimo pela luz que voce me deu.
    Abraço.
    Miguel.

    ResponderExcluir
  18. Boa noite! Fiz o pedido de aposentadoria no Inss recebi o resultado indeferido pela minha contagem tenho 33 anos e 6 meses de contribuição e mais documentos que me da direito a 3 anos de insalubridade, tenho 64 anos como faço para recorrer este resultado pois acredito que não contaram esse tempo de insalubridade pois me informarão que tenho q contribuir até 12/16

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Alexandre
      Tem que agendar o recurso e no dia marcado ir ao INSS e ver se não analisaram ou se negaram o tempo de insalubridade e depois disso entrar com o recurso.

      Excluir
  19. Catarino bom dia. Minha esposa está desempregada a quase um ano e quer começar a contribuir como facultativo, se ela ficar sem assinar carteira esse ano, mas começar a recolher nessa categoria, terá direito a receber o PIS no próximo ano?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hallyson
      O direito ao PIS não tem nada a ver com as contribuições ao INSS e sim em estar empregado.

      Excluir
  20. Bom dia Catarino!
    Meu esposo é policial militar no estado de Goiás e a mais ou menos 3 anos paga contribuição individual de 11% sobre um ponto de taxi que possuimos, gostaria de saber se é constitucional essa contribuição e se ele terá direito de se aposentar por essa contribuição haja visto que ele recolhe pelo regime privado pelo estado como militar .
    Desde já muito obrigado e parabéns pelo site.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sol
      Não sei informar sobre os direitos dos servidores, sugiro que ele verifique no órgão onde trabalha para ver se é legal ser taxista e servidor público.

      Excluir
  21. Dr. boa tarde, fiz perícia c pedido de auxílio acidente, dia 02/10/2014, foi indeferido, e o perito disse que em março acaba minha qualidade de segurado, o que faço pra não perder ja que não trabalharei mais de carteira assinada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Carlos
      Tem que voltar a contribuir antes de mês em que irá perder a qualidade de segurado.

      Excluir
  22. Dr. Boa Noite.

    Estou com um caso de um senhor que possui 67 anos e ja efetuou 163 contribuições e deseja se aposentar por idade. pergunto: posso orienta-lo a efetuar a quitação das parcelas restantes que intere as 180 contribuições para solicitarmos o beneficio ja que o mesmo possui a idade ou isso não seda possível ?

    Obrigado pela atenção

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fabiano
      Ele terá que seguir pagando até completar as 180 exigidas, não tem como pagar de outra forma.

      Excluir
  23. Boa tarde! Dr. Catarino Alves.
    Parabéns pelo site e pela atenção que demonstra com as pessoas que lhe escrevem.

    ResponderExcluir
  24. Vou começar a contribuir esse mês, minha duvida, se optar pelos 20% no facultativo, Tera algum a diferenca que quanto vou receber daqui a 30 anos, se tivesse contribuido como individual?

    ResponderExcluir
  25. Juli
    Não tem nenhuma diferença. Leia o artigo que vai entender.

    ResponderExcluir
  26. bom dia a minha mãe conribuia com o pagameno mas infelismente ela veio a falecer no dia 28/01 tenho um irmão de 14 anos e eu com 21 sera q temos algum direito ?

    ResponderExcluir
  27. Lucas
    Se ela estava contribuindo o filho menor de 21 anos tem direito.

    ResponderExcluir
  28. Boa tarde Catarino... primeiramente, parabéns pelo blog, realmente muito esclarecedor!
    Gostaria de saber o que define o valor a ser recebido mensalmente na aposentadoria. Pergunto isso pois penso no caso de minha esposa, que faz mestrado e tem planos de fazer doutorado, porém em ambos os casos ela recebe uma bolsa, ou seja, para a previdência, ela não é vista como trabalhadora, e sim como estudante, já que não há contribuição descontada. Dessa forma, como uma forma de tentar validar este tempo na pós-graduação na contagem do tempo de serviço, pensamos em fazer uma contribuição como facultativo, mas gostaríamos de fazê-lo pelo menor valor possível, para que essa contribuição não pese muito no nosso orçamento, porém para isso gostaríamos de saber se o valor contribuído inicialmente realmente influenciará no valor recebido quando aposentada, ou se ele é calculado conforme os salários recebidos mais nos anos finais de contribuição? Obrigado!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nuno
      Ela pode pagar 20% do mínimo, hoje é 157,60. A renda é calculada pela média de 80% do total contribuído desde 07/94 ou desde que iniciou a contribuir se foi depois dessa data. Os 80% são escolhidos pelo maior valor.

      Excluir
    2. Obrigado Catarino.. agora entendi melhor essa questão dos 80%. Parabéns pela presteza e disponibilidade em sanar nossas dúvidas

      Excluir
  29. Minha esposa é dona de casa e começou a contribuir com a idade de 48 anos como Facultativo em 2008, pela alíquota de 20% e pretende se aposentar por idade. Temos dúvida se essa alíquota está correta ou se estamos desperdiçando recursos e a alíquota correta é 11%.
    Outra dúvida é se ela terá direito à aposentadoria por idade aos 60 ou 63 anos, quando completará 15 anos de contribuições como facultativo.

    Parabéns pelo blog.

    Altair Trindade.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Altair. Ela pode contribuir com os 11% que terá o mesmo direito. Só terá direito quando completar os 15 anos, a idade não dá direito só limita.

      Excluir
  30. Catarino,
    Obrigado pela resposta.
    Uma última dúvida: é possível recuperar os valores pagos a maior durante esses anos?

    ResponderExcluir
  31. Boa noite. Eu me formei na faculdade e estou apenas estudando para concursos públicos, para me tornar funcionária pública em regime estatutário. Fiz 25 anos e gostaria de começar a contribuir (nunca tive carteira assinada, apenas estágios durante a faculdade). Qual o plano mais adequado para mim?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Juliana
      No seu caso tem que pagar como facultativo recolhendo 20% do mínimo.

      Excluir
  32. Olá Catarino!!!
    Contribui para o INSS pelas empresas que trabalhava 4 anos e 2 meses de Jun/1973 ate ago/1993. Ficando desempregada durante 21 anos. Comecei a trabalhar de novo em 2014 e já faz 1 ano que a empresa paga a minha contribuicão como funcionária. Vou fazer 60 anos agora em junho/2015, qual aposentadoria seria ideal no meu caso? Posso somar o tempo atual de contribuicões as contribuicões passadas? Por favor, me oriente o que devo fazer? Obrigada!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ana
      Não sei se escreveu certo, pois disse que trabalhou 4 anos e agora mais, nesse caso não há nenhuma aposentadoria que possa pleitear, pois a idade não dá nenhum direito.

      Excluir
  33. OLÁ,TRABALHEI ATÉ 02 DE FEVEREIRO DE 2015,E GOSTARIA DE PAGAR INDIVIDUAL,QUANDO EU COMEÇO ? E QUAL O PERCENTUAL ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Angelica
      Se não quer perder tempo sem contribuir pode começar a partir do mês março que é pago até 15 de abril, deve pagar 20% do mínimo, leia o artigo que vai entender.

      Excluir
  34. Ola, Catarino

    Sou autônomo e contribuinte individual, todos os meus esforços são sempre para pagar pelo teto de contribuição.
    Porem minha renda fica abaixo do valor teto, eu contribuo com valor superior ao que eu realmente tenho de renda, no esforço de uma aposentadoria melhor.
    Corro o risco de não poder poder ter o beneficio proporcional ao contribuido e sim ao da renda?
    A receita pode cobrar de mim o valor de I.R referente ao valor de contribuição, ou posso fazer um pagamento maior ao INSS, que o valor declarado a Receita ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adriano
      No INSS o que vale são as contribuições, porém há risco de ser cobrado pelo imposto de renda se vem declarando valor a menor.

      Excluir
  35. Olá, Catarino Aves tenho 54 anos e faltando 20 meses para aposentadoria por contribuição fui demitido sem justa causa e agora vou contribuir como facultativo até que eu consiga uma nova colocação ou complete o o tempo que ainda falta mas tenho algumas duvidas.
    tinha uma renda de R$ 3.000,00, seu contribuir com o mínimo isso vai ter diferença no calculo dos rendimentos?
    posso contribuir com o mínimo agora e depois aumentar?
    se eu arrumar uma nova colocação e só para de pagar o carne GPS
    Grato
    Silvio Cavalcante

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Silvio
      Na fórmula de cálculo da renda mensal são desprezados um total de contribuições equivalente a 20% das menores, veja mais detalhes neste link:Como aproveitar a regra de cálculo da renda no INSS

      Excluir
  36. Bom dia,

    Trabalho a área de departamento pessoal, e tenho um demanda de empregadores domésticos.
    Recebi um pedido de consulta de uma doméstica demitida em 10/2014, com dúvidas no seu recolhimento de INSS.
    A mesma teve um vínculo de 2006 a 2014, e sua empregados doméstica recolheu seu INSS com código 1600 porém com alíquota reduzida, não a devida de 20%. De 2006a 2008 foi pago alíquota aproximada de 9,8% do salário base conforme as anotações na CTPS e carnês quitados. No período de 2009 a 02/2014 foi pago alíquota de 11%. E a partir de 03/2014 passou a recolher a alíquota de 5%.
    Estudando as alíquotas acredito que a empregadora recolheu como dona de casa, e não como doméstica.
    Minha interpretação está correta?
    Cabe um processo trabalhista para que o empregador complete a diferença de alíquota?

    Obrigada,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Patrícia
      Empregado doméstico não tem alíquota reduzida, paga no mínimo 20% e quem paga, e é responsável pelo pagamento, é o empregador.
      Dona de casa não é uma opção para pagar menos, só quem se enquadra pode entrar no sistema.
      O empregador terá que ir ao INSS e recolher tudo o que ficou para trás, pois corre o risco de ser processado.
      Tudo sobre o INSS

      Excluir
    2. Obrigada, sua resposta foi bem esclarecedora.

      Excluir
  37. Boa Tarde me chamo Marcel, é o seguinte tenho que começar a contribuir ao INSS, mas estou em dúvida em qual tipo eu me enquadro facultativo ou contribuinte individual, vou explicar resumidamente minha situação, bom tenho uma empresa junto ao meu pai, do qual contribui através do MEI dele, toda a empresa está em seu nome, nada consta no meu, mas quem toca a empresa administrativamente sou eu, mas como nada consta em meu nome é o mesmo que eu fosse desempregado, queria saber em qual você acha que eu me enquadro facultativo ou individual? pois quero contribuir o mais rápido possível. Muito Obrigado pela atenção.

    Att, Marcel

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marcel
      Nesse caso você é empregado, seu pai tem que fazer o registro e os recolhimentos.

      Excluir
  38. Catarino, parabéns pelo site.
    Tenho duas perguntas:
    1 - minha filha é contribui como autônoma há 5 anos com 20% do salário mínimo. Quando se aposentar, qual será o valor da aposentadoria?
    2 - meu filho contribui há 7 anos e vai trabalhar no exterior, provavelmente até atingir a idade de aposentar-se. Ele pode continuar contribuindo visando receber aposentaria no futuro? Qual deve ser o valor de contribuição para se aposentar pelo teto?
    Att.,
    Luís Carlos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Luis
      1 - se paga o mínimo vai receber o mínimo.
      2 - se quer receber o teto tem que recolher pelo teto.

      Excluir
  39. Boa tarde, Catarino!
    Sou contribuinte individual e presto serviços para determinada empresa de forma esporádica. A empresa desconta 11% do meu "salário" como contribuição previdenciária e nos meses que não presto serviços a ela, faço o pagamento da contribuição através da GPS no valor de 20% do salário mínimo. Isso ocorre desde Maio de 2012.
    Tenho 2 dúvidas: a) se a empresa desconta 11% do meu "salário" este é o único valor que é repassado ao INSS ou a empresa paga mais 9% por conta própria para alcançar os 20%? se a resposta for a primeira alternativa como posso reajustar a contribuição dos meses e anos passados? b) em alguns meses, o "salário" pago a mim pela empresa, decorrente do serviço que lhe prestei, não alcançou 1 salário mínimo, assim a empresa fez o desconto de 11% sobre a valor pago, como faço para pagar a diferença até alcançar o valor correto que deveria ter sido pago de 20% sobre 1 salário mínimo?
    Obrigada, pela atenção!
    abçs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aristeli
      Quando a empresa retem 11% equivale a 20%, pois os demais encargos são pagos por ela. Quando é você que paga tem que ser 20%. Se o valor pago pela empresa for menor que o mínimo tem que complementar, senão o mês não é considerado pelo INSS. Para saber o valor que precisa complementar é só diminuir o valor pago pela empresa do salário-mínimo e calcular 20%, se der valor maior que 10,00 pode pagar a guia.

      Excluir
    2. Obrigada, Catarino!
      A dúvida que surgiu agora é como pagar esse valor de complementação, vez que há meses incompletos que contam mais de 1 ano, por exemplo. É possível preencher a guia manual.. o banco aceitará o pagamento indicando complementação de competência há muito tempo atrasada ou incluiu a complementação em outros meses sem especificar a competência? é possível pela forma eletrônica também ou não?
      Mais uma vez, obrigada!!

      Excluir
    3. Aristeli
      Se são muitos meses a melhor opção é ir ao INSS e pedir uma guia com o valor total de todas as diferenças e quitar.
      Tudo sobre o INSS

      Excluir
  40. Boa tarde Sr Catarino, minha mãe vai fazer 61 anos em Agosto, ela está muito doente a 3 anos, com quadro de Problemas na coluna, intestino,fibromialgia e depressão muito forte, está fazendo tratamento com psiquiatra e gastro, muito debilitada, depende das pessoas para trocar fralda, dar banho e comer. Liguei no 135 e me falaram que no caso dela teria que esperar até 65 anos para poder receber o loas. Ai perguntei referente ao beneficio para dona de casa, eles falaram que teria que contribuir por 4 meses e depois tentar um auxilio doença.
    Essas informações estão corretas ? O único beneficio que eu poderia conseguir para ela que fosse mais rápido é esse do dona de casa ? Depois que for cancelado o auxilio doença, qto tempo ela vai precisar contribuir para poder receber um beneficio fixo ? Desde já obrigado pela atenção

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Wandinha
      Essa informação que lhe passaram não está correta, não tem como pagar 4 mensalidades e depois pedir benefício já estando doente, não existe esse plano de dona de casa. Todo o benefício, mesmo que ela se enquadre em família de baixa renda, exige 15 anos de contribuição e se ela nunca contribui só terá direito pagando todo esse tempo. Para ter loas só com 65 anos, desde que viva sozinha e não tenha meios de sobreviver.
      Tudo sobre o INSS

      Excluir
  41. Muito obrigado por responder, pois é o atendente do 135 que me passou essas informações, expliquei a situação dela, e ele disse compre o carnê na papelaria, pague durante 4 meses e depois agende ela em uma pericia medica, se constatar que ela é incapaz, eles darão a ela o auxilio doença. O jeito então é esperar ela completar 65 anos, para tentar o loas, ela precisa muito. Obrigado mais uma vez.

    ResponderExcluir
  42. Sou advogado privado e procurador estadual ( estatutário).
    Tenho 45 anos ( e expectativa menor de vida) e gostaria de começar a recolher, de forma tardia, para o INSS(aposentadoria).
    Qual a melhor opção para mim, caso queira receber um valor maior( superior ao salário mínimo) numa aposentadoria pelo Inss ( para complementar minha aposentadoria como procurador) ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Antonio
      Para ter renda maior que o mínimo tem que recolher o tempo que falta para ter 65 anos e se aposentar por idade, tem que pagar 20% do valor que escolher, sendo que vai receber 90% da média das contribuições que fizer, se pagar exatos 20 anos.
      http://www.consultor-online.com/2015/03/o-calculo-da-renda-mensal-nos-beneficios-do-inss-um-exemplo-pratico.html

      Excluir
  43. Bom dia, tenho uma duvida quanto a contribuição do INSS.
    parei de trabalhar dia 31 de março de 2015, e quero continuar contribuindo para não perder o tempo que não estiver trabalhando.
    Sei que é contribuinte facultativo, só tenho duvidas se 1406 ou 1473,
    fui orientada a pagar pelo Cod 1473 - 20% sobre a renda que eu mais ou menos recebia, é correto isso?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Edieli
      Se quer pagar para ter direito a aposentadoria por tempo ou com renda maior que o mínimo tem que pagar 20%, mas pode pagar pelo mínimo ou por qualquer outro valor acima do mínimo.
      Tudo sobre o INSS

      Excluir
  44. Elaine Tavares

    Boa noite,
    Tenho 45 anos e 8 anos de contribuição,gostaria de saber em que caso me enquadraria para começar a contribuir pois não estou trabalhando registrada,se no caso de voltar a ter registro em carteira posso para de pagar a contribuição? As parcelas tem que ser pagas mensalmente sem falhas de pagamentos?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Elaine
      Desempregado é contribuinte facultativo e nessa categoria paga quando quiser, por isso, ao se tornar empregada é só parar de contribuir.
      Tudo sobre o INSS

      Excluir

Deixe seu comentário sobre o blog, caso queira tirar uma dúvida use o Fórum do Consultor, é só clicar na link abaixo:
Fórum do Consultor

Postagens populares